• JundiaíSaúde

    Jundiaí é referência no Brasil no tratamento contra diabetes

    O Programa de Assistência à Pessoa com Diabetes se tornou referência no combate à doença

  • Há 100 anos, em 1921, pesquisadores canadenses descobriram a molécula da insulina, revolucionando tanto a medicina, quanto a perspectiva de vida dos pacientes portadores da diabetes. Jundiaí, que é referência nacional em cuidado à pessoa com diabetes e reconhecida pela Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD).

    A cidade possui desde 2007 o Programa de Assistência à Pessoa com Diabetes. Ele foi implementado pela Unidade de Gestão de Promoção da Saúde (UGPS), com cuidados, prevenção e tratamentos para a diabetes.

    Eduardo Freitas descobriu ser diabético há dez anos. Hoje, aos 24 anos, morador do Jardim Ipanema, se utiliza da rede pública para o tratamento. Ele faz a retirada de insulinas, remédios e insumos como glicosímetro e tiras reagentes. Para ele, apesar dos cuidados que deve ter com sua saúde, consegue ter uma vida normal.

    “Apesar dos cuidados com a alimentação, tento levar a vida normalmente. Pratico atividades físicas regularmente e acompanho todos os dias a variação da glicemia através do aparelho de medição que levo junto comigo”.

    O atendimento da rede pública é completo e gratuito. De acordo com a enfermeira responsável pelo programa, Maria Gabriela Bortotto, os atendimentos ocorrem nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) em conjunto com Núcleo Ampliado de Saúde da Família (NASF), havendo desde encaminhamentos para exames diagnósticos e de controle, até atendimentos e assistências por uma equipe multidisciplinar composta por nutricionistas, psicólogos e educadores físicos, dentre outros profissionais.

    Como a doença age?

    “A diabetes é uma doença silenciosa, que compromete vários órgãos e funções, como a renal e a oftalmológica. Sendo necessário, portanto, rápidos diagnóstico e tratamento. Àqueles com quadros mais graves e não controlados da doença, como a neuropatia diabética, são assistidos pelo Núcleo Integrado de Saúde (NIS). Ao passo que, o Núcleo de Assistência ao Portador de Deficiência (NAPD), assiste àqueles que sofreram algum tipo de amputação de membros graças a algum descontrole da doença. O importante é seu constante monitoramento´´, afirma Maria Gabriela.

    Caso tenha alguma duvida com relação seus exames e diagnósticos, vá para a UBS mais próxima de sua residência para marcar exames de sangue e consultas com os melhores profissionais.

    Medicações e insumos

    De acordo com a Coordenadora da Assistência Farmacêutica de Jundiaí, Ana Claudia Rodrigues, vários equipamentos de saúde do município distribuem tanto medicamentos orais e insulinas, quanto os insumos para controle e monitoramento da doença, como o glicosímetro. De acordo com a coordenadora, cada equipamento distribui determinados insumos.

    “Nas Unidades Básicas de Saúde, são distribuídos os medicamentos orais  para o controle da diabetes, além de dois de cinco tipos de insulina; já na Farmácia Central, da Rua Marechal Deodoro da Fonseca, 836, são distribuídos outros três tipos de insulina, além de insumos para o monitoramento da doença, como glicosímetro e tiras reagentes”, completa.

    Ao todo, Jundiaí conta com 12 mil pessoas cadastradas para a retirada de insumos e insulina.

    LEIA TAMBÉM

    Combate ao Aedes aegypti é intensificado em Itupeva

    Etiquetas
    Mostrar mais

    Artigos relacionados

    Deixe uma resposta

    Botão Voltar ao topo
    Don`t copy text!
    Fechar
    Fale conosco