• Saúde

    InCor pede à Anvisa o início de testes de vacina spray contra a Covid-19

    Imunizante pode ser aplicado de forma mais prática

  • Nesta quinta-feira (21), o Laboratório de Imunologia do Instituto do Coração (InCor) pediu para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) a autorização para começar os testes clínicos em humanos da vacina em spray contra a Covid-19.

    Caso seja aprovado, ele se juntará ao Butanvac para a realização dos testes de vacina no Brasil. Para isso, é necessário que o documento tenha sinal verde. Assim começam as fases 1 e 2 dos testes clínicos, que busca avaliar a imunogenicidade, a segurança, o melhor esquema de vacinação – se com uma ou duas doses – e o escalonamento das doses. A duração do período dessas fases é estimada em até três meses.

    O imunologista Jorge Kalil, diretor do Laboratório de Imunologia do Incor e coordenador da pesquisa, explicou que a ideia é testar o imunizante como reforço em pessoas com esquema vacinal completo. O estudo contará com 280 voluntários, divididos em sete grupos e, ainda segundo o especialista, a previsão para começar os testes é no início de 2022.

    “As vacinas atuais evitam a doença, mas as pessoas ainda podem transmitir o vírus. Nós queremos que o indivíduo desenvolva uma boa resposta no local que o vírus chega ao organismo ao aumentar bastante as imunoglobulinas IGA. É ela que protege as mucosas, e com isso parar a transmissão e, consequentemente, a pandemia”, explicou o imunologista ao site.

    Aposta em novo formato de vacina

    O imunizante do InCor é o primeiro completamente desenvolvido em território nacional. A produção já ocorre desde abril de 2020. Sua aplicação é via nasal, o que tem o potencial de aplacar a infecção na porta de entrada do vírus no organismo.

    Atualmente, todas as vacinas disponíveis contra o coronavírus são em forma de injeção. No entanto, outros países também tentam desenvolver uma opção via spray.

    “Agora todos viram que essa é uma boa estratégia, mas nós somos pioneiros em todo o conceito. Do antígeno, do local de imunização, tudo”, afirmou Kalil.
    LEIA TAMBÉM
    Etiquetas
    Mostrar mais

    Artigos relacionados

    Deixe uma resposta

    Botão Voltar ao topo
    Don`t copy text!
    Fechar
    Fale conosco