Esporte

Em jogo marcado por episódio de racismo, Corinthians empata com o Inter e segue líder do Brasileirão

Edenilson fez denúncia contra Rafael Ramos, alegando ter sido xingado. Acusado nega ofensa

Se tem um duelo no futebol brasileiro que tem uma das maiores rivalidades interestaduais é sem dúvida Corinthians e Internacional. No sábado (14), as duas equipes se enfrentaram no Beira Rio, em Porto Alegre, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro. As duas equipes ficaram no empate, que garantiu a liderança do Timão, mas o que mais marcou o jogo foi a denúncia feita por Edenilson, do Inter contra o lateral português corintiano, Rafael Ramos, que alegou ter sofrido racismo.

O jogo foi bem agitado e o Colorado abriu o placar aos 24 minutos com Alan Patrick, que recebeu bom cruzamento com De Pena. Não demorou muito para o Corinthians reagir e chegar ao empate. Aos 29, após disputa na área, Mantuan levou a melhor sobre o goleiro Daniel, e Raúl Gustavo marcou. Os jogadores do Inter reclamaram muito com a arbitragem pedindo falta, mas o árbitro e o VAR validaram o gol.

Também houve pressão no homem do apito aos 33, num pedido de pênalti para os donos da casa, que não foi marcado. Aos 43, os donos da casa voltaram a ficar na frente. Cássio fez boa defesa em cabeceio de Alan Patrick, mas deu rebote, e Wanderson não perdoou.

A equipe comandada por Vítor Pereira voltou melhor para a etapa final, com Jô no lugar de Róger Guedes. E foi justamente dos pés do camisa 77 que o Timão conseguiu o empate, aos 19 minutos. Na entrada da área, Mantuan deu uma linda cavadinha para o centroavante, que driblou o goleiro e mandou para o fundo das redes. A partir de então e da acusação de que Rafael Ramos teria cometido injúria racial contra Edenílson, a partida caiu de intensidade e começou a ficar mais “picada”, com muitas faltas e discussões.

Ocorrência de racismo

Aos 30 minutos do segundo tempo, após uma disputa de bola, o volante do Internacional, Edenílson acusou o lateral corintiano Rafael Ramos de chama-lo de “macaco”. De pronto, o português negou ter cometido tal ato. O meio-campista prestou queixa na polícia e, nas redes sociais, escreveu “eu sei o que ouvi”.

Por meio de um texto, Edenilson se pronunciou sobre o caso. “Boa noite, pessoal, passando aqui apenas para me pronunciar. Eu sei o que ouvi, realmente eu não reagi provavelmente da forma que deveria, pois foi a primeira vez que isso aconteceu comigo e me incomoda o fato de ficar chamando atenção de outra forma que não seja jogando futebol”.

O jogador garantiu que procurou Rafael Ramos após a partida na expectativa de receber um pedido de desculpas. “Eu procurei o atleta para que ele assumisse e me pedisse desculpas, afinal todos erramos e temos direito de admitir, no meu modo de ver as coisas. Mas o mesmo continuou a dizer que eu havia entendido errado. Eu não entendi errado, o procurei pelo respeito que tenho por alguns integrantes do Corinthians e para que ele pudesse ter uma chance de se redimir

Defesa

Já o lateral português pagou fiança de R$ 10 mil e foi liberado. Em comunicado na saída do Beira-Rio, Ramos disse que houve um mal entendido.

“Eu estou aqui com a consciência e cabeça limpas para explicar o que aconteceu. Foi puramente um mal entendido entre mim e o Edenilson. No fim do jogo estive com ele e tivemos uma conversa tranquila, onde expliquei o que tinha acontecido. Ele explicou o que realmente entendeu, que não é verdade. Eu expliquei a verdade daquilo que eu tinha dito. Foi isso que aconteceu. Tivemos uma conversa tranquila. Ele mostrou um receio de se passar por mentiroso, e aí eu falei que ele não é um mentiroso, apenas entendeu as palavras erradas. Apertamos a mão e desejei ele boa sorte”.

Agora a Polícia Civil do Rio Grande Sul vai utilizar as imagens para fazer a leitura labial para atestar se houve realmente ou não uma ofensa racial.

LEIA TAMBÉM

São Paulo vence Cuiabá em jogo polêmico no Morumbi

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo
Don`t copy text!